PORTAL DIVULGA MAIS DE DUAS MIL FOTOGRAFIAS HISTORICAS BRASILEIRAS

Biblioteca Nacional e Instituto Moreira Salles disponibilizaram acervos dos séculos 19 e 20 para o Brasiliana Fotográfica

A Biblioteca Nacional e o Instituto Moreira Salles criaram o portal Brasiliana Fotográfica (http://brasilianafotografica.bn.br), um banco de fotos online focado no período de consolidação da fotografia no Brasil: do fim do século 19 aos anos 1920. Serão, inicialmente, cerca de duas mil fotografias do acervo das instituições, mas outras entidades ou colecionadores particulares poderão enriquecê-lo.

A iniciativa é pioneira no Brasil. Tanto a Biblioteca Nacional quanto o Instituto Moreira Salles têm entre seus pilares a preservação da fotografia. Da primeira, é destaque a Coleção D. Teresa Cristina Maria, composta por mais de 21 mil fotos reunidas por d. Pedro II, fotógrafo diletante e colecionador de imagens do Brasil, América do Norte, África e Europa.

Dela fazem parte registros de acontecimentos históricos, como a Guerra do Paraguai (1846-1870) e as manifestações pela abolição da escravatura, em 1888. Entre os principais nomes estão o alemão Revert Henry Klumb (1830-1886), professor de fotografia da Princesa Isabel, e o carioca Marc Ferrez (1843-1923).

O conjunto documental Mestres do Século XIX, do IMS, rico em paisagens e imagens de tipos brasileiros, sendo o Rio de Janeiro, capital do país, o principal cenário, tem fotos de Ferrez, do suíço Georges Leuzinger (1813-1892) e do francês Theophile Auguste Stahl (1828-1877), entre outros profissionais brasileiros e europeus.

As fotos mostram a evolução urbana das principais capitais da época, como Rio, São Paulo, Salvador e Recife, com registros da construção de ferrovias e de sistemas de abastecimento de água e da modernização de portos. O IMS disponibilizou outras três coleções.



Retrato de D. Pedro II de 1883 com técnica de impressão em platina (Foto: Joaquim Insley Pacheco / Acervo Biblioteca Nacional)

“É um apanhado das nossas principais coleções do século 19, que são complementares à da biblioteca. Elas são imagens, em geral, de boa qualidade, e que estão sendo disponibilizadas com ferramentas de magnificação, de modo que se possa chegar a detalhes”, explica o coordenador de fotografia do IMS, Sergio Burgi.

Renato Lessa, presidente da Fundação Biblioteca Nacional, lembra que esse material da instituição é de domínio público. O portal deve servir a pesquisadores, estudantes e interessados em história e fotografia. “Será um portal da fotografia brasileira, e terá também ensaios de curadores. É como se fizéssemos várias exposições virtuais”, compara Lessa.